A SGW apresenta projetos de remediação bem-sucedidos implementados no Brasil no Simpósio de Biorremediação do Battelle 2019, em Baltimore, Maryland.

SGW Services no Battelle 2019

Desde 2007 a SGW vem utilizando a Redução Química In Situ (ISCR) e outras tecnicas para remediação de contaminações por Solventes Clorados e Metais Pesados ​​em mais de 25 grandes projetos de sucesso no Brasil. Com toda a experiencia adiquirida nestes mais de dez anos, a SGW participou ativamente das ultimas nove edições dos eventos promovidos pelo Battelle voltados para as tecnologias de gerenciamento de áreas contaminadas.

O Bioremediation Symposium é um fórum para compartilhar resultados de pesquisas, experiências práticas e oportunidades associadas aos avanços em biorremediação e práticas verdes e sustentáveis em remediação. A SGW Services apresentará quatro estudos de caso nos painéis B1. Combined Remedies, B3. Estratégias de entrega de alterações inovadoras e eficientes, C4. Biodegradação em ambientes geológicos complexos e E9. Abordagens combinadas para a remediação de hidrocarbonetos de petróleo:

#21 - Combined Remedial Approaches for CVOC Treatment in Soil and Groundwater: Excavation, MPE, and ISCR.

# 21 - Abordagens de Remediação Combinadas para Tratamento de CVOC no Solo e Águas Subterrâneas: Escavação, MPE e ISCR.

As operações em uma antiga fábrica de fraldas localizada no estado de São Paulo (Brasil) resultaram em contaminação subsuperficial por Compostos Orgânicos Voláteis Clorados (CVOCs), principalmente Tetracloroetileno (PCE), Tricloroetileno (TCE), cis 1,2-Dicloroetileno (1,2- DCE) e Cloreto de Vinila (VC). Concentrações de PCE até 54.000 ppb e uma área superficial de aproximadamente 10.760 pés2 com distribuição vertical que se estende até aproximadamente 108 ft bgs. A SGW empregou uma combinação de Escavação de Solo, Extração Multi-Fase (MPE), Redução Química In Situ (ISCR) e Extração de Vapor de Solo adicional (SVE) para gerenciar a intrusão de vapor e permitir a utilização do espaço de trabalho. De setembro de 2017 a junho de 2018 a concentração de CVOCs totais nas águas subterrâneas foi reduzida de 31.200 para 500 ppb (> 98%) sem o acúmulo de catabólitos. + Mais

#38 - 10 Years of In Situ Chemical Reduction in Tropical Environments: Lessons Learned and Conclusions So Far.

# 38 - 10 anos de redução química in situ em ambientes tropicais: lições aprendidas e conclusões até agora.

Desde 2007, a SGW vem utilizando ISCR para remediação de contaminações com Solventes Clorados e Metais Pesados em mais de 25 projetos de sucesso no Brasil. Durante esses 10 anos de experiência com tecnologia, a SGW injetou mais de 715.000 kg de produto de remediação, distribuídos em cerca de 1.500 pontos de injeção e 22.500 metros de perfuração. Embora as metas tenham sido alcançadas em todos os projetos, várias "regras" e "suposições" tiveram que ser redesenhadas ao longo dos anos e um novo entendimento surgiu de projeto para projeto. De formulações específicas a metas de desempenho e longevidade, várias mudanças e aprendizagens foram feitas para alcançar um alto desempenho. Reações mais rápidas e completas, melhor distribuição de produtos remediadores, maior reatividade, problemas de argila / temperatura / biológicos / geológicos, etc. + Mais

#62 - Combining Remediation Technologies for Complex Hydrogeological Sites Impacted by Chlorinated Solvents (Brazil).

# 62 - Combinando Tecnologias de Remediação para Sites Hidrogeológicos Complexos Impactados por Solventes Clorados (Brasil).

A água subterrânea em um complexo hidrogeológico - uma fábrica de eletrodomésticos inativos localizada na cidade de São Paulo, no estado de São Paulo - foi impactada com Compostos Orgânicos Voláteis Clorados (CVOCs). Após compreender o complexo modelo hidrogeológico da área, o aqüífero foi dividido em níveis hidráulicos, confinados pelas camadas argilosas. O aqüífero raso foi o mais importante considerando o potencial de intrusão de vapor dentro da área. A abordagem de remediação considerou uma combinação sinérgica de várias técnicas que incluiu escavação de solo e redução química in situ (ISCR) com o objetivo de remediar o local em 24 meses, permitindo uma futura ocupação residencial. + Mais

#101 - Successful Self-Activating ISCO/Enhanced Bioremediation for BTEX Remediation: Soil Mixing in Brazil Site.

# 101 - ISCO / Biorremediação aprimorada com auto-ativação para Remediação de BTEX: Soil Mixing - Site no no Brasil.

Um antigo posto de gasolina em Campinas, São Paulo, foi contaminado por BTEX e adquirido por uma incorporadora para a construção de uma casa de repouso para idosos. O projeto utilizou o reagente oxidante químico in situ Provect-OX® para ISCO - reagente de biorremediação aprimorado que utiliza óxido de ferro (Fe III) como um meio seguro e eficaz de ativar o persulfato. Em abril de 2017, o solo contaminado foi escavado e removido. Aproximadamente 5.000 kg de Provect-OX foram misturados diretamente na base e paredes laterais da escavação dentro de uma área de 170 m2. O primeiro evento da amostragem realizado 30 dias após a aplicação mostrou uma redução do benzeno superior a 99%. Os eventos subseqüentes da amostra mostraram que o objetivo da remediação foi alcançado. + Mais

Consulte a SGW – a consultoria ambiental com a melhor reputação do mercado.

Preencha o formulário e em breve entraremos em contato.

Nome:  
Telefone:  
E-mail:  
Empresa:  
Cidade:  
Mensagem:  
     
   


Se preferir, entre em contato:

Entre em contato conosco para uma avaliação de seu caso sem compromisso:

Solicite sua proposta   Fale com um consultor   Conheça nosso trabalho
contatos@sgw.com.br   (11) 3217-6300   www.sgw.com.br
         



Links relacionados:

SGW Services é convidada a apresentar dois projetos de remediação executados no Brasil no Battelle BioSymp 2015.

Battelle 2013: SGW Services apresenta seus trabalhos e reafirma que está na vanguarda da remediação ambiental.

SGW Services participa do Battelle 2011, apresentando casos de sucesso no Brasil no maior simpósio sobre biorremediação do mundo.

SGW Services na Feira Internacional do Meio Ambiente (FIMA) na Colômbia.